Como definir metas de vendas para a minha loja?

Como definir metas de vendas para a minha loja?

Como definir uma meta? Alguns acreditam que, após anos trabalhando no mesmo ramo, já sabem o que esperar do negócio. Outros, sonhadores, buscam o impossível, acreditando que basta força de vontade para conquistar os objetivos da empresa.

Mas a tarefa é mais complicada do que parece. Metas superestimadas ou subestimadas podem causar impactos negativos no negócio. Afetam não só o motivacional da equipe, como também os próprios resultados operacionais.

Repetindo a pergunta que fizemos no início do post, é importante destacar que existe, sim, uma maneira mais profissional e acurada de definir metas em um negócio. Não basta apenas a experiência: é preciso definir parâmetros com clareza, além de conhecer os principais indicadores a serem acompanhados.

Para ajudar nossos leitores nessa tarefa, resolvemos trazer, nesse post, algumas dicas importantes sobre como definir metas em uma loja. Confira a seguir!

O padrão SMART de metas

Então, quais são os parâmetros para a definição de metas? Hoje, existe o conceito de metas SMART que, em inglês, significa “metas inteligentes”. SMART também é um mnemônico que revela cada um dos elementos que devem estar presentes em uma meta, vamos conferir cada um deles?

S (Específicas)

Basicamente, a ideia é de que a meta precisa ter especificidade, ou seja, apresentar números e dados claros.

M (Mensuráveis)

Isso significa que, para cada meta estabelecida, é fundamental estabelecer uma métrica específica para acompanhá-la.

A (Atingíveis)

As metas precisam ser ousadas, é claro, mas é indispensável que estejam dentro da realidade do negócio e do mercado.

R (Relevantes)

Simples, as metas estabelecidas realmente devem ser capazes de ajudar a empresa a conquistar seu objetivo maior, seja ele qual for.

T (Temporizáveis)

Por fim, e não menos importante, para cada meta estabelecida deve haver um prazo claro para sua conclusão.

A avaliação SWOT

Dentre os elementos de uma meta, percebemos na letra A do padrão SMART a questão da atingibilidade. Em outras palavras, é preciso que as metas estejam dentro da realidade. Agora, como descobrir o que é possível e impossível? Não basta, apenas, tirar conclusões com base no achismo, é preciso pesquisar e avaliar toda a situação.

Para isso, temos a análise SWOT, também conhecida como análise FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), em que avaliaremos o mercado e a própria empresa. A ideia é identificar, no ambiente interno, as fraquezas e as forças do negócio. Um exemplo de fraqueza é a desqualificação dos profissionais e as forças poderiam ser o bom posicionamento da loja em um shopping.

Além disso, devemos também procurar obter informações sobre o ambiente externo, isto é, as oportunidades e ameaças. Para exemplificar esses dois pontos, podemos considerar uma oportunidade alguma data comemorativa interessante e as ameaças algum concorrente que se localizou bem ao lado.

Definição de metas

Voltando ao ponto inicial do nosso material, é importante que o gestor saiba exatamente quais são as metas e indicadores importantes para o varejista. Dependendo do objetivo da empresa, pode ser interessante avaliar, por exemplo, o tempo médio de atendimento, e definir uma meta específica para essa área.

É claro que o ticket médio por vendedor, métrica fundamental no varejo, também deve se transformar em uma meta importante, além de outros pontos, como a venda de mix de produtos.

Além de conhecer todos esses pontos que precisam de metas específicas, o mais importante é voltar aos pontos anteriores para que você estabeleça metas reais!

Para você, o que é mais importante na hora de definir uma meta? Deixe o seu comentário!

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também